AFD: ator importante e inovador no financiamento pró-clima

A atividade da AFD no Brasil

No âmbito do seu apoio ao crescimento verde e solidário, a AFD no Brasil coordena diversos projets, notadamente nos domínio dos transportes públicos e das energias renováveis.

► Ordenamento sustentável dos territórios e mobilidade urbana [+]

  • Uma alternativa aos carros e um corredor ecológico em Curitiba.

Quinto polo econômico do país, Curitiba  enfrenta uma forte progressão do trânsito de veículos particulares, que o sistema de transporte coletivo tem dificuldades em combater. A AFD apoia a política de desenvolvimento do transporte público e de preservação de um corredor ecológico urbano.

 

 
                                                                     Rio Bariguï, Curitiba © Guillaume Chiron
 

Um empréstimo de 36,15 milhões de euros, aprovado em dezembro de 2007, financia um novo eixo de ônibus em corredor exclusivo (Bus Rapid Transit - BRT) e a realização de um corredor ecológico ao longo do Rio Bariguï. Além da melhoria da qualidade dos transportes, o projeto reduzirá a emissão de gases de efeito estufa e melhorarará a qualidade de vida da população, contribuindo para a proteção da biodiversidade urbana.

► Acesso à ficha do projeto - Curitiba

 

 

  • Apoiar a política de mobilidade urbana do Estado do Rio de Janeiro.

Devido a uma urbanização muito rápida desde a década de 50, o Estado do Rio de Janeiro está hoje subequipado em matéria de transportes urbanos coletivos. Em consequência , a população recorre a meios particulares de deslocamento, que redundam em uma dependência dos combustíveis fósseis e se traduzem por um crescimento substancial das externalidades econômicas e ambientais: congestionamento das cidades e aumento das emissões de gases de efeito estufa.

Um empréstimo de 300 milhões de euros para o Estado do Rio de Janeiro, aprovado em abril de 2012, permite apoiar a política de mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Esse financiamento é acompanhao de uma ssistência técnica destinada a apoiar o governo na implementação de sua política de mobiliade sustentável e de governança metropolitana, e a valorizar a experiência da França nesses setores. Um sistema de transporte coletivo eficiente favorecerá tanto o crescimento do Estado como a diminuição das desigualdades e o combate às mudanças climáticas. Também contribuirá para a radiação do Rio de Janeiro durante a Copa do Mundo de Futebol de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

► Acesso à ficha do projeto - Rio de Janeiro

 

 

  • Desenvolvimento inclusivo no Estado de Minas Gerais. 

Minas Gerais , segundo estado brasileiro pela população, está determinado a eliminar a pobreza extrema e a reduzir significativamente as desigualdades sociais e regionais em cinco anos, graças à universalização do acesso aos serviços básicos.

Um empréstimo de 300 milhões de euros, concedido em abril de 2012, apoia o plano plurianual do governo estadual em matéria de redução das desigualdades sociais e regionais. Esse financiamento é acompanhado por um programa de cooperação técnica com entes subnacionais franceses, tais como a Região Nord-Pas de Calais, nos setores de reabilitação de territórios de mineração, do  plano climático  e dos transportes coletivos.

►Acesso à ficha do projeto - Minas Gerais

►Acesso à ficha do projeto - Plano do Clima

►Acesso à apresentação do Plano do Clima

Em complemento a esta concessão, a AFD apoia o Banco de desenvolvimento do estado de Minas Gerais (BDMG) para que o mesmo possa financiar projetos dos municípios em favor da luta contra a mudança climática.
 
A linha de crédito de 50 milhões de euros concedida em 2013 ao BDMG prioriza os investimentos bem como estudos para prevenção dos riscos climáticos atuais e futuros, redução das emissões de gases poluentes nos setores energéticos, gestão dos resíduos sólidos e transporte e uma melhor gestão dos recursos.
 
A parceria entre a AFD e o BDMG inclui um programa de cooperação técnica afim de acompanhar a implementação destes projetos.
 
 
 
 
  • Uma nova linha de trem em São Paulo.
A região metropolitana de São Paulo - a mais populosa do Brasil, com cerca de 21 milhões de habitantes - enfrenta atualmente uma acelerada expansão urbana. Seu sistema de transporte ferroviário atinge os limites de sua capacidade e necessita ser modernizado e estendido para satisfazer a demanda crescente por mobilidade.
 
A AFD concedeu um empréstimo de 300 milhões de euros ao Estado de São Paulo , para acompanhar sua política de mobilidade urbana. Esse empréstimo permitirá a construção de uma nova linha de trem de 10,3 km de extensão, ligando a cidade de Guarulhos e seu aeroporto internacional ao centro da cidade de São Paulo. Esse projeto aprimorará a mobilidade entre duas cidades densamente povoadas e acompanhará o crescimento dessa região metropolitana, ao mesmo tempo em que contribuirá para a redução da poluição sonora e das emissões de partículas de gases estufa.
 
 
 
 
  • Apoio às políticas de mobilidade urbana nos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo

São Paulo e Rio de Janeiro constituem as duas regiões metropolitanas de maior importância no Brasil, tanto em relação ao tamanho físico e populacional quanto ao peso econômico. No entanto, a expansão urbana acelerada mostra-se como um desafio às redes de transportes, que alcançam o limite de suas capacidades. Respondendo a uma demanda dos dois Estados, a AFD disponibilizou  uma subvenção de 500 mil euros a cada um deles, visando apoiar as ações públicas para o desenvolvimento do transporte coletivo.

O programa busca favorecer a cooperação institucional bilateral entre as entidades públicas da França e do Brasil competentes na área de mobilidade e transporte urbano, assim como a promoção do know-how e da expertise das empresas francesas - a exemplo do acompanhamento operacional aos projetos do VLT por meio de uma tecnologia na qual a engenharia francesa é reconhecida pela sua perfomance.

► Acesso à ficha do projeto - Estados de São Paulo e Rio de Janeiro



 

► Eficiência energética e energias renováveis [+]

  • Desenvolver a geração hidrelétrica, modernizar a rede de distribuição no Estado do Rio Grande do Sul.

Um financiamento de 45,46 milhões de euros para a subsidiária de geração e transmissão da Companhia Pública de Energia Elétrica do Rio Grande do Sul (CEEE-GT), destinado a desenvolver a geração hidrelétrica e a rede de transmissão de energia do estado, foi concedido emabril de 2012. Esse projeto é cofinanciado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Um financiamento de 67,30 milhões de euros, também aprovado em abril de 2012 e cofinanciado pelo BID, para o ramo de distribuição da companhia (CEEE-D), é destinado a promover a modernização e a extensão da rede de distribuição.

Esses dois projetos visam acompanhar o crescimento econômico ao responder ao forte crescimento da demanda energética pela promoção de um setor elétrico mais eficiente e de baixo carbono. Eles respondem igualmente às necessidades da população, ao melhorar a qualidade do serviço prestado e a confiabilidade da rede. O projeto beneficia de um subsídio de 1,5 milhões de euros ao título da Facilidade de Investimento para a América Latina (LAIF) da União Europeia.

► Acesso à ficha do projeto - CEEE

 

 

  • Acompanhar o BNDES na promoção de energias renováveis e de eficiência energética.
O Brasil é um dos maiores consumidores de energia elétrica do mundo e o maior da América do Sul. Seu desenvolvimento econômico e a luta contra as desigualdades deverão conduzir a uma rápida elevação nas necessidades e na produção energética. Para responder a esses desafios, um volume de 213 bilhões de reais (cerca de 64,2 bilhões de euros) em investimentos é previsto.
 
A AFD concedeu um empréstimo ao banco de desenvolvimento brasileiro BNDES , que desempenha um papel importante na promoção de energias renováveis e na eficiência energética no Brasil. Esse projeto contribuirá para limitar as emissões de gases de efeito estufa e aprimorará a competitividade e a capacidade de inovação das empresas desse setor, que representam hoje uma parte significativa da economia do país.
 

► Meio ambiente e recursos naturais [+]

  • Desenvolver as redes de saneamento em cidades de porte médio no Estado de Santa Catarina 

O Estado de  Santa Catarina, um dos mais desenvolvidos do país, está bastante atrasado, paradoxalmente, em matéria de saneamento: apenas 15% da população urbana tem acesso ao saneamento coletivo, contra 50% da média nacional. O governo estadual está promovendo uma política proativa de recuperação desse atraso, graças a investimentos importantes da Companhia Catarinense de água e Saneamento (CASAN) .

 A AFD apoia, com um financiamento de 100 milhões de euros, o programa de investimento em saneamento da CASAN, que fornece os serviços de alimentação em água potável e de saneamento da maior parte dos munícipios do estado. Esse programa permitirá evitar a emissão de águas usadas não tratadas no meio natural, considerando que os municípios beneficiados possuem um capital ambiental rico e vulnerável.

►  Acesso à ficha do projeto - CASAN

 

 

  • Acompanhar o município de Toledo em sua política de desenvolvimento sustentável 
Fundada em 1952 no oeste do Paraná, a  cidade de Toledo , com 116 000 habitantes, colocou desde 1966 o meio ambiente como prioridade, e mais recentemente, formulou uma política de desenvolvimento sustentável que a AFD decidiu apoiar.
Com um financiamento de 9,5 milhões de euros concedido em 2010, a AFD contribui para o financiamento do programa de desenvolvimento ambiental do município, que visa a conservação dos solos, a preservação dos recursos hídricos e da biodiversidade, a gestão dos resíduos sólidos e  recuperação dos biogases das criações suínas. Esse programa protegerá o meio ambiente local e terá um impacto positivo sobre a qualidadede vida dos habitantes e no desenvolvimento econômico.
 
 
Gestão dos resíduos sólidos, Toledo © Marie-Pierre Bourzai-Chérif 
 

► Acesso à ficha do projeto - Toledo

 

 

  • Contribuir para o manejo florestal 

O Fundo Francês para o Meio Ambiente Mundial (FFEM), cuja secretaria cabe à AFD, e que apoiou um projeto de manejo sustentável dos recursos dlorestais na região de Santarém, Pará (com um subsídio de 1,4 milhões de euros). O FFEM financia atualmente um projeto de manejo sustentável da Floresta Pública do Estado do Amapá (subsídeio de 1,6 milhões de euros) e um projeto de plataforma experimental para a gestão de territórios rurais na Amazônia (susbídio de 2 milhões de euros), em Cotriguaçu (Mato Grosso). Essas iniciativas contribuem para a elaboração, com a participação dos atotes locais, de políticas e de ferramentas estaduais no setor do manejo florestal, e demonstram a viabilidade econômica de um manejo sustentável da floresta.

► Parcerias [+]

A AFD, conforme seu papel de promoção de pesquisa, análise e reflexões sobre os grandes temas que envolvem a questão do desenvolvimento na atualidade, optou por estabelecer uma parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Principal think tank brasileiro, o IPEA foi criado em 1967 e está ligado à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República desde 2007. Seus trabalhos fornecem ferramentas para a tomada de decisões por parte do governo brasileiro no que concerne à definição ou reformulação de políticas públicas e programas de desenvolvimento.

Essa parceria, de duração de três anos, visa promover a produção e a difusão de conhecimentos. Isso porque ela favorecerá a troca de ideias entre pesquisadores da AFD e do IPEA, no intuito de realizar, conjuntamente, estudos de interesse comum.

► Acesso à ficha do projeto - IPEA

► Cooperação Transfronteiriça [+]

A AFD responsabiliza-se por um mandato especifico de apoio à cooperação estabelecida entre o estado do Amapá e da Guiana Francesa. A agência da AFD em Caiena toma a frente desta cooperação regional. Tal cooperação permite que sejam reforçadas as capacidades dos Estados vizinhos à Guiana de superar desafios comuns, notadamente aqueles na área do desenvolvimento econômico, da saúde, da educação e do meio ambiente. 

Acesso à página da AFD Guyane - coopération régionale, un axe stratégique

► PROPARCO [+]

 

Filial da AFD, a Proparco tem por missão favorisar os investimentos privados em favor do crescimento, do desenvolvimento sustentável e do alcance dos objetivos do milênio nos países emergentes e em desenvolvimento. A Proparco intervém no Brasil em apoio ao setor privado nos setores de energia renovável, agro-indústria, educação, saúde, micro-finança e turismo sustentável.

Transparência e Responsabilidade

Última atualização em Abril 2017

Test