• logo linkedin
  • logo email
default image
À margem da Cimeira Conjunta de Finanças, o FIDA e a AFD assinaram um acordo de co-financiamento para mobilizar 150 milhões de dólares para apoiar a
agricultura familiar em Angola face às alterações climáticas.

Angola está a ser duramente afectada pelos efeitos das alterações climáticas: as chuvas anteriormente abundantes no norte tornam-se cada vez mais erráticas, e as províncias do sul têm vindo a sofrer uma seca crónica nos últimos anos. Estas mudanças têm um impacto directo nos rendimentos de milhões de famílias rurais já frágeis que dependem da agricultura e da pecuária, agravando os problemas de malnutrição e de êxodo rural.

Para responder a estas problemáticas, a AFD decidiu juntar-se à acção do FIDA em Angola que já há muitos anos financia projectos de apoio à agricultura familiar. Graças a esta parceria e ao financiamento do Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico em África, 150 milhões de dólares de empréstimo ao Estado angolano serão mobilizados para responder aos desafios da
produtividade e da resiliência da agricultura familiar angolana, incluindo 38
milhões de euros providenciados pela AFD.

O "Smallholder Resilience Enhancement Programme (SREP)" será implementado em zonas agro-ecológicas áridas, semi-áridas e sub-húmidas em sete províncias - Bengo, Zaire, Uíge e Cuanza Norte no norte, e Benguela, Cunene e Namibe no sul - durante um período de 6 anos. O projecto irá apoiar pelo menos 218.000 agregados familiares rurais, com um foco especial nas mulheres e jovens, sendo estes os grupos mais vulneráveis às alterações climáticas. As actividades desenvolvidas fornecerão serviços de apoio e vulgarização destinados a aumentar a segurança alimentar, produtividade e resiliência das explorações familiares. Os investimentos irão melhorar o acesso a infra-estruturas de transporte rural, irrigação e gestão da água e às terras geridas de forma sustentável.

Através da formação das Escolas de Campo e da aquisição de tecnologias apropriadas, os pequenos produtores terão meios para aumentar a resistência das suas explorações agrícolas às alterações climáticas e para serem mais produtivas. Além disso, o apoio aos pequenos produtores para investimentos sustentáveis, resilientes e produtivos, bem como a facilitação de diálogos com as 2 partes interessadas dos sectores, tornará possível o aumento das actividades geradoras de rendimentos das famílias rurais.


Contactos: afdluanda@afd.fr