• logo linkedin
  • logo email
Barbara Pompili, Ministra da Transição Ecológica do Congresso Mundial da IUCN em Marselha
A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), o Estado francês e a Agence Française de Développement mantêm fortes laços materializados por parcerias sucessivas desde 2005. Um novo acordo deve ser concluído para o período 2021-2024.

Uma relação de confiança guiada por um compromisso compartilhado para a proteção da biodiversidade: é o que caracteriza os fortes laços que a França e a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), associação internacional de referência sobre a biodiversidade, mantêm.

Seu Congresso Mundial da Natureza reúne, de 3 a 11 de setembro, em Marselha, mais de 1400 membros governamentais e não governamentais oriundos de 140 países, on-line e no local, e é uma força motriz em questões de biodiversidade no plano internacional.


Ler também: 8 Palavras-Chave para Compreender O Congresso Mundial da Natureza da IUCN


Devemos à IUCN saber se a natureza está indo bem ou mal”, diz Naïg Cozannet, que coordena o programa de mainstreaming da biodiversidade na Agence Française de Développement (AFD).

Graças à sua rede de peritos científicos reunidos em comissões, foi a primeira a fornecer à comunidade internacional ferramentas que permitissem acompanhar a degradação da vida de forma consensual: a lista vermelha de espécies ameaçadas, agora estendida aos ecossistemas, a lista verde de áreas protegidas, bem como o padrão das Soluções Baseadas na Natureza. Todas as partes interessadas apoiam-se hoje nessas normas.

Uma parceria sustentável

Os laços entre a França e a IUCN são antigos: a associação foi fundada em 1948 em Fontainebleau, Seine-et-Marne. “Muitas personalidades e especialistas franceses comprometidos com a conservação da natureza envolveram-se na atividade da associação. A França sempre contribuiu para o desenvolvimento da IUCN”, observa Naïg Cozannet. A França é o segundo país representado na organização em termos de membros.

Em 2005, as duas partes deram um passo importante e formalizaram suas relações através da assinatura de uma parceria de quatro anos, sempre renovada posteriormente. Este acordo associaria a Agence Française de Développement a partir de 2009. Durante este período, até 2012, a contribuição francesa para as ações da IUCN totalizou 8 milhões de euros. Desde então, não cessará de crescer, passando para 8,8 milhões entre 2017 e 2020.

Soluções Baseadas na Natureza

Esta parceria tem crescido em força ao longo do tempo e traz um real valor agregado. Existe um forte interesse comum entre os parceiros em diferentes temas, como, por exemplo, a preservação dos oceanos, a agroecologia ou o desenvolvimento de Soluções Baseadas na Natureza”, diz Charles Bonhomme, conselheiro de estratégia e desenvolvimento da IUCN. A França, através da AFD e dos membros franceses da IUCN, contribuiu com efeito para a emergência do padrão internacional para as Soluções Baseadas na Natureza, lançado em 2020, que é agora referência mundial.

A poucas semanas de reuniões cruciais para o futuro do planeta, como a COP15 da Convenção sobre a Diversidade Biológica (a ser realizada on-line em outubro e depois na China em 2022) e a COP26 sobre o clima (de 31 de outubro a 12 de novembro em Glasgow, Escócia), Charles Bonhomme nos lembra que “a IUCN ajuda a França a fazer ouvir sua voz nestas instâncias internacionais, particularmente através das recomendações políticas e estratégicas resultantes do trabalho da União durante a votação das moções”.

Em breve uma nova parceria concluída

Uma nova parceria será concluída em breve para o período de 2021-2024. O programa consistirá numa contribuição da França para as atividades da IUCN, através de uma subvenção de apoio ao programa “Nature 2030” da União, o financiamento de vários grandes programas temáticos e a disponibilização de peritos de vários ministérios e da AFD.

Estes recursos contribuirão, sobretudo, para a gestão sustentável de áreas marinhas protegidas, a integração de práticas agroecológicas nas ações de restauração das terras, a aplicação de Soluções Baseadas na Natureza, bem como o lançamento do novo projeto da IUCN Academy.

Paralelamente, a França, através da AFD, continua também a apoiar diretamente projetos liderados pela IUCN. A exemplo da iniciativa para a resiliência no Pacífico, que acompanha vários Estados insulares na implementação de Soluções Baseadas na Natureza em favor da biodiversidade e da adaptação às mudanças climáticas.