Os projetos financiados pela AFD em 2018 permitirão economizar 10,5 milhões de toneladas de CO2 por ano

published on 12 November 2019
  • logo linkedin
  • logo email
10,5 milhões
Ao longo dos anos, a Agence Française de Développement vem dedicando cada vez mais recursos à atenuação das emissões globais dos gases de efeito estufa.

Trata-se de um bom panorama do impacto dos projetos apoiados pela Agence Française de Développement (AFD) para combater as mudanças climáticas: 10,5 milhões de toneladas de equivalente CO2 serão economizados anualmente e ao longo de seus ciclos de vida por projetos financiados pela AFD em 2018.

10,5 milhões de toneladas de equivalente CO2 correspondem, em termos de potência de aquecimento global, às emissões anuais de gases de efeito estufa de países como o Luxemburgo ou a Mauritânia.

Este valor foi obtido a partir de uma ferramenta e de metodologias internas compatíveis com a abordagem harmonizada da contabilização dos gases de efeito estufa das instituições financeiras internacionais (International financial institution framework for a harmonized approach to greenhouse gas accounting).

Ele se baseia em projetos destinados a reduzir as emissões de gases de efeito estufa nos países em desenvolvimento e nos territórios ultramarinos. A título de exemplo, em Boulouparis, na Nova Caledônia, a construção de uma nova central fotovoltaica de 15 MWp (megawatts-pico) permitirá reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 22 mil toneladas de equivalente CO2 por ano. Em Cacao, na Guiana, uma usina de biomassa evitará o uso do diesel e a emissão de 28 mil toneladas de equivalente CO2 para a atmosfera a cada ano.

Com o engajamento assumido pela AFD de tornar suas atividades 100% compatíveis com o Acordo de Paris, este valor de 10,5 milhões de toneladas de equivalente CO2 evitados irá aumentar nos próximos anos. Em 2018, a AFD consagrou 4,8 bilhões de euros para apoiar 158 projetos relacionados com o clima, incluindo 3 bilhões de euros para mitigar as mudanças climáticas e 1,4 bilhão de euros para adaptar as sociedades a suas consequências.

Ler igualmente