• logo linkedin
  • logo email
Play International, Burundi, esporte e desenvolvimento, AFD
A AFD fez do esporte um dos novos eixos de sua ação e promove o “esporte para todos”, favorecendo a igualdade de acesso à sua prática. Foco em 5 projetos que permitirão desenvolver o esporte na África e nos Bálcãs Ocidentais entre agora e os Jogos Olímpicos de Paris 2024.

No domingo, 8 de agosto, a bandeira olímpica foi oficialmente entregue aos organizadores dos futuros Jogos Olímpicos de Paris 2024, após duas semanas de competição em Tóquio marcadas sobretudo por uma taxa de participação recorde de atletas femininas (48,6%).

Para o Grupo Agence Française de Développement (AFD), o esporte é um poderoso vetor de paz e inclusão social. Desejando promover o esporte de proximidade, que contribui em particular para uma maior autonomia e autoestima das mulheres, fez do esporte um dos pilares de sua ação ao comprometer mais de 48 milhões a 20 projetos em 2019 e 2020.

1Pela prática do basquetebol na África com a NBA e a Basketball Africa League

O basquetebol é um dos esportes coletivos onde a diversidade é mais respeitada, e que transmite muitos dos valores inerentes aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Ao assinar, em 2018, uma parceria com a NBA na África, a AFD quis mudar o olhar sobre o continente e abrir novos horizontes para o mundo do esporte.

Graças a esta parceria, um programa de sensibilização e educação através do basquetebol foi lançado em cinco países africanos. A “Basketball Experience” já está funcionando no Marrocos com a construção de um campo “AFDxNBA” em Zenata, um subúrbio de Casablanca. Este programa, que utiliza o basquetebol para ensinar competências de vida (igualdade de gênero, cidadania, etc.) e sensibilizar para os desafios ligados ao desenvolvimento sustentável, acontece nas escolas e no terreno. O programa também está sendo lançado na Nigéria e no Senegal, antes do Quênia e da África do Sul em 2022.  

O Grupo AFD também é parceiro oficial da Basketball Africa League (BAL), primeira liga profissional de basquetebol lançada pela NBA fora da América do Norte. O objetivo da AFD e da BAL é promover o acesso à educação, ao bem-estar e à inclusão de meninas e mulheres.

2O futebol para promover a igualdade de gênero com a FIFA

Para combater atitudes e práticas discriminatórias contra mulheres e meninas e para apoiá-las em sua emancipação, a FIFA e a Agence Française de Développement (AFD) financiam o programa Championnes (Campeães), com a ONG Plan International France como gerente. Sua missão é contribuir, através da prática do futebol, à promoção da liderança das meninas e da igualdade de gênero num ambiente protetor: a escola.

O programa Championnes é implementado no Benin, Togo e Guiné, e seus diversos projetos têm por objetivo aumentar a capacidade e a autoestima de 5390 meninas, pela experimentação de uma boa colaboração em torno de um objetivo comum. Os jovens beneficiários, com idade entre 12 e 24 anos, terão a oportunidade de jogar futebol em infraestruturas modernizadas e adequadamente equipadas para permitir uma coabitação harmoniosa, independentemente do sexo. Os líderes de 180 organizações comunitárias existentes também serão apoiados no âmbito deste programa.


Ler também: Championnes: Football for Gender Equality in Africa (em inglês)


3Criar laços sociais com a “Playdagogia”

Para promover a educação através do esporte e fortalecer a coesão social desde a mais tenra idade, a AFD compromete-se junto a organizações da sociedade civil francesas, tais como a Play International, aprovada pelo Ministério dos Esportes e reconhecida como de interesse geral.

No Burundi, no Senegal, na Libéria e no Kosovo, a Play International utiliza sua “Playdagogia” para manter os jovens no sistema educacional através do esporte e criar laços sociais em prol da reconstrução do país. Em Mayotte, a ONG implementa um projeto educacional e esportivo que se insere no combate à discriminação.

4Uma coalizão mundial para o desenvolvimento do esporte

Em novembro de 2020, uma ampla coalizão do esporte a serviço do desenvolvimento, iniciada pelo Grupo AFD, foi lançada no âmbito da primeira Cúpula Internacional Finança em Comum: a Coalizão Esporte para o Desenvolvimento. A Coalizão Esporte para o Desenvolvimento está empenhada em reforçar os meios financeiros, investimentos e competências nesta área, em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Esta ambição traduziu-se concretamente no lançamento da plataforma Esporte em Comum, um programa pan-africano destinado a melhorar o diálogo entre os mundos do esporte e do financiamento do desenvolvimento, com uma oferta de financiamento variada, adaptada a todas as dimensões de projetos e proveniente de vários tipos de estruturas de financiamento, públicas ou privadas.

5Projetos de impacto positivo com Paris 2024

A AFD e o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Paris 2024 assinaram em 2020 uma parceria para um programa inovador de incubação de atletas-empresários. O dispositivo já deu origem este ano a uma primeira promoção de 26 esportistas de alto nível - 10 na França e 16 na África - que desejam levar para seus países projetos que respondam a desafios societais como inclusão, inserção, igualdade entre mulheres e homens, saúde, educação e proteção ambiental.

Com base em seus valores de compromisso, nas competências que adquirem ao longo de sua carreira esportiva e em seu poder de mobilização, o programa tem por ambição dar-lhes as chaves para lhes permitir ter um impacto positivo a seu nível. Entre eles, Sarah Hanffou, jogadora de tênis de mesa de Camarões, cujo projeto visa promover o acesso das meninas ao esporte, Aby Gaye, jogadora de basquete do Senegal, cuja ambição é organizar colônias de basquete sobre o tema da autoconfiança e da autoestima, e Roger Amegbeto, nadador togolês, que quer construir a primeira piscina acessível ao público do Togo e promover a prática da natação e os benefícios do esporte sobre a saúde.


Ler também: Global Sports Week 2021: Entrepreneurship in Sports (em inglês)


 

Ler igualmente