• logo linkedin
  • logo google plus
  • logo email
Digital
Com a plataforma Digital África, a ser apresentada em 21 de novembro durante a cúpula Emerging Valley em Aix-en-Provence, a AFD segue adiante com a sua ação inovadora em benefício da dinâmica empresarial na África.

Um foguete resplandecente com os pês fincados na África, em Paris e na Provença... O seu objetivo não é a Lua, mas conquistar territórios digitais inexplorados. Em cada estágio dessa plataforma inédita chamada Digital Africa, todos os atores africanos do ecossistema empreendedor (empresários, estruturas de acompanhamento, investidores, grandes empresas, universidades, instituições e associações) associam-se em volta de uma mesma visão: colocar a inteligência coletiva a serviço do empreendedorismo responsável e da inovação digital no continente africano.

O mundo digital a serviço da vida real

Em todas as áreas – clima, educação, saúde, gênero –, novas respostas emergem para o desenvolvimento. Graças ao mundo digital, os pescadores de Soumbedioune, no Senegal, podem escoar a sua produção diária para os melhores restaurantes de Dacar. As jovens mães camaronesas têm acesso a orientações médicas, 24 horas por dia, durante e após a sua gestação, quer morem na cidade ou no campo. Na Costa de Marfim, a gestão da floresta e dos lotes passa pelo satélite. Em muitos países africanos, basta um simples celular par ter acesso aos serviços bancários e de microcrédito. Em toda parte, o mundo digital irriga e muda a vida.

A associação Digital Africa, apoiada pela AFD e presidida pelo empreendedor Karim Sy, dedica-se ao acompanhamento e ao apoio de um ecossistema digital africano em pleno crescimento.  

Uma convicção profunda inspira a AFD: ao aprender uns com outros, com humildade, em uma lógica de troca e de partilha de experiências, é que será possível responder coletivamente aos desafios do nosso mundo em comum. Para passar à escala superior, os atores do mundo digital precisam ser integrados em ecossistemas promissores como Digital Africa. 

Rémy Rioux, Diretor Geral da AFD
Um acelerador conectado de projetos

Concretamente, Digital Africa já reúne 135 plataformas de inovação e incubadoras em 35 países, redes de empreendedores de 42 países, oito iniciativas reconhecidas pela organização Tech4good e muitos atores de todas as áreas. Para reforçar essa dinâmica, o grupo AFD vai empenhar 65 milhões de euros no financiamento de capital semente, assistência técnica e apoio às incubadoras e outros aceleradores de projetos.

Além da plataforma digital e da organização de encontros entre empreendedores, Digital Africa apoia a criação de um selo para valorizar os atores emergentes de um empreendedorismo africano inovador, sustentável e inclusivo. Sem esquecer o apoio a eventos federativos como Emerging Valley, que reúne mais de 100 investidores, start-ups e inovadores do setor digital africano, nos dias 20 e 21 de novembro, em Marselha e Aix-en-Provence, sob os auspícios do Presidente da República. Todos os estágios do foguete digital foram lançados.  

SIBC 2018

O EMPREENDEDORISMO SOCIAL E INCLUSIVO ESCOLHE O SEU “LADO”

A AFD e a sua subsidiária dedicada ao setor privado, a Proparco, mobilizam um bilhão de euros nos próximos 5 anos para acompanhar mais de 500 empresas, com vistas a alcançar pelo menos 50 milhões de pessoas. O apoio ao empreendedorismo social e inclusivo está no âmago dessa ação em prol de um desenvolvimento econômico responsável no plano social, econômico e ambiental.

Com o seu Social and Inclusive Business Camp (SIBC), criado em 2016, a AFD prossegue em sua abordagem de acompanhamento dos empreendedores envolvidos em inovações societais na África. O SIBC, cuja segunda edição ocorre em Marselha até 20 de novembro, é o parceiro essencial desses produtores de impactos societais no continente. A iniciativa já apoia mais de 60 projetos desenvolvidos em 24 países, com quatro objetivos principais:

  • acelerar projetos inovadores que associem valor financeiro e valor societal, 
  • fortalecer as capacidades dos condutores de projetos, 
  • aumentar o impacto, a perenidade e a visibilidade das empresas acompanhadas,
  • criar e animar uma comunidade de empreendedores inovadores na África.

Ao acelerar os empreendedores produtores de impactos societais positivos na África, analisa Isadora Bigourdan, responsável do SIBC, o Social and Inclusive Business Camp participa da emergência de uma comunidade dinâmica de atores da mudança na África. O nosso objetivo? Ajudar esses proponentes de soluções inovadoras a se desenvolverem para responder aos desafios de um mundo em comum.